Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

RESENHA: QUEM É VOCE, ALASCA?

O eterno mistério de seu sorriso malicioso, quase matreiro. Cinco camadas entre nós. – Gordo Quem é você, Alasca? É a primeira obra do autor mais badalado do momento – John Green -, lançado em março de 2005 e publicado no Brasil em 2010 pela WMF Martins Fontes . Em 2012, best-seller do The New York Times, o livro ganhou o Prêmio Michael L. Printz (premiação anual que nomeia os melhores livros destinados a jovens adultos). No Brasil, o livro está há sete semanas na lista de mais vendido da revista VEJA . O livro é narrado por Miles Halter (ou Gordo, se preferir), um jovem entediado com sua vidinha pacata, que resolve sair de casa para estudar em Culver Creek, “à procura do Grande Talvez”. No colégio interno ele conhece pessoas maravilhosas: Coronel, Takumi, Lara e Alasca Young, uma garota imprevisível, inteligente e muito sensual. Em pouco tempo, nosso protagonista estará totalmente envolvido em coisas que nunca pensaria estar, e Alasca o levará para o seu “labirinto”...  

Papo com Santiago Nazarian, autor de Mastigando Humanos

“Se a fome é o impulso básico para a existência, o freio da existência seria o medo? Ou seria a saciedade? Afinal, quem tem fome demais se arrisca. E quem já não tem não precisa. Morrer de medo.... Não adianta observar os hábitos alimentares da minha espécie pela televisão, vocês nunca entenderiam o que me motiva sem ler o que tenho a contar. ” Essa é apenas uma das incríveis divagações de Jacaré (eu não sei o nome do jacaré. Se você sabe, por favor, comente!), personagem principal de Mastigando humanos, novo livro de Santiago Nazarian , publicado pelo Grupo Editorial Record . Mastigando humanos foi lançado originalmente em 2007, e de lá pra cá, só rendeu coisas boas ao jovem autor, no mesmo ano, em Bogotá, capital do livro, foi eleito um dos maiores autores da América Latina pelo júri do Hay Festival. Tem seus romances (6 ao todo) espalhados pela Europa e América Latina e, recentemente, vendeu os direitos da história para editoras da Itália e da Espanha. Não é à toa o suces